UX Writing: a voz do usuário

UX Writing: a voz do usuário

Se você trabalha com marketing, provavelmente já deve ter ouvido sobre a importância da experiência do usuário nas suas estratégias.

Porém, o que se observa por aí é bem diferente, não é verdade?
No mundo real, funciona mais ou menos assim:

Além de pensar em user experience aplicada somente a estratégias pontuais, que tal também lançarmos o olhar sobre esse conceito em outras áreas e, principalmente, de forma mais integrada? É nessa direção que a UX Writing aponta.

| Vamos abordar no post:
O que é UX Writing
O desafio da UX Writing
Como escrever com o tom de voz do usuário

O que é UX Writing
Entender as necessidades do usuário não é mais o suficiente. Já sabemos o quão importante é conhecermos o nosso público-alvo, desde aspectos demográficos até os mais subjetivos, como suas expectativas e preocupações.
Para a escrita funcionar (e gerar ação) nas estratégias de marketing, além de precisar estar adaptada ao contexto do leitor, ela deve entregar valor.

E o que é valor?
Gerar valor não está relacionado apenas com o conceito da sua marca. É como você envolve seu usuário, como você conversa com ele, e é disso que se trata a UX Writing.
Frequentemente associada a softwares e aplicativos, falamos muito em “usuário” quando o assunto é UX Writing, mas podemos adaptar seus princípios para diversos formatos de conteúdo.
Assim, a escrita pode ser pensada além da sua simples funcionalidade, desde as mídias sociais até o pós-venda.

O desafio da UX Writing
A principal tarefa é compreender o tom de voz do seu público e através da escrita, facilitar a jornada do consumidor.
Portanto, podemos considerar que a escolha de palavras deve ser focada em três fatores: aproximar o usuário do seu objetivo, entender suas motivações e apresentar as ideias da forma mais clara possível.
Nesse contexto, podemos citar um exemplo de problema bastante comum no marketing: “Tenho alto abandono de carrinho no meu site, o que estou fazendo de errado? “
Talvez o erro esteja nas palavras.

Como escrever com o tom de voz do usuário
Fazer testes e analisar resultados quantitativos é uma das bases para gerar boas experiências através da escrita, principalmente em aplicativos e e-commerce.

Voltando ao exemplo anterior, quando um consumidor está prestes a fechar uma compra online, há diversas maneiras de informar o preço e as opções de pagamento.

Para explicar melhor, este artigo do UX Collective sobre boas práticas de copywriting apresenta duas opções de Call to Action: “Compre agora” e “Quero comprar agora”. Nele, o autor argumenta que a decisão por comprar é do usuário, portanto, a escrita na primeira pessoa facilitaria a concepção do consumidor.
Por isso que conteúdo e experiência são indivisíveis e a escrita deve ser considerada como parte da experiência do usuário. As palavras são tão importantes quanto interfaces amigáveis, arquitetura de informações -e claro, devem estar de acordo com a personalidade da marca.
Na dúvida, sempre opte pela praticidade, e não esqueça: para interação ser fluída, ela deve exigir o mínimo de esforço para compreensão da mensagem. Nesse sentido, uma das diretrizes da UX Writing é pensar sobre a informação transmitida através da palavra. Por fim, o fundamento principal é simples: informar mais com menos.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.